quinta-feira, 14 de julho de 2016

Resenha | A Seleção, de Kiera Cass

Depois de receber tantos spoliers – o que não é nada legal – e várias críticas dos meus amigos por nunca ter lido A Seleção, hoje eu posso ser um garoto feliz e dizer que eu li o primeiro livro da série e que eu simplesmente amei tudo, desde os detalhes mais simples até aqueles personagens com menos destaque. Eu não sei do porque eu ter demorado tanto para começar a leitura, talvez porque eu queria terminar outras sagas e outros momentos eu estava de ressaca literária, que acabavam não me permitindo ler essa série, mas o primeiro livro foi tão incrível, que pretendo ainda esse mês começar a ler A Elite, o segundo livro da série.




Kiera Cass, escreve uma distopia que se passa no futuro, onde não existe mais Estados Unidos, mas sim Illéa. Este país é divido em oito castas, sendo a casta Um a mais rica, e a Oito a mais pobre. A personagem principal é America Singer que pertence à casta Cinco, onde todos tem que trabalhar com algo que envolva arte – pintura, escultura, música e etc –, e as pessoas não são tão pobres como as que moram na casta Oito, mas possuem certas limitações. A garota mesmo passando por algumas dificuldades, não tendo uma vida de luxo e tendo sua alimentação contada, ela é bem feliz, e o motivo principal é seu romance com Aspen, que pertence à casta Seis. O namoro deles é escondido, pois a mãe da America, não aceitaria que sua filha namorasse, muito menos pensasse em se casar com alguém de casta inferior do que a sua, ela queria para America o melhor, queria sua filha casasse no mínimo com uma pessoa de casta Quatro.


Em um determinado dia, America e outras garotas de todo o país, recebem uma carta para participar da Seleção. Que seria um “reality show“, que selecionariam 35 garotas – tendo pelo menos uma representante de cada casta – para uma competição que escolherá a futura esposa de Maxon e a próxima rainha de Illéa. America nunca quis participar, mas com a pressão de sua mãe e o pedido de Aspen, ela acabou se inscrevendo e tentando a sorte. Milhões de garotas querendo participar da Seleção, America era a única que não gostaria de ser chamada, mas que acabou tendo seu nome escolhido para participar do reality, e nesse momento sua família pulou de alegria, ao saber que America poderia ser a futura rainha de Illéa, mas isso acabou afetando seu relacionamento com Aspen. Depois de chamada, Singer passou por alguns exames médicos e esclarecido que a cada semana que ela passasse na Seleção, a sua família receberia uma quantidade de dinheiro. Oportunidade perfeita para America ajudar a sua família, além de fugir da sua desilusão amorosa que estava passando no momento.
Mãe, mesmo que eu quisesse ser rainha, e não quero com todas as minhas forças, milhares de outras meninas da província vão entrar nesse troço. Milhares. E, se por acaso eu for sorteada, ainda teria que competir com outras trinta e quatro, todas certamente mais sedutoras do que eu jamais conseguiria fingir ser.

Além desse lado romântico do livro, Kiera também apresenta um livro com conteúdo político, pois em alguns momentos do primeiro livro, o castelo é atacado por rebeldes, mas que os leitores não sabem o motivo desse ataque, deixando uma interrogação no ar. Também temos a discussão social, em que algumas garotas de castas mais ricas, humilham as de castas mais pobres. Ou seja, envolve toda uma crítica social, o que deixa a história mais interessante e incrível de se ler.
Deitada no colchão deformado, eu passava e repassava a Seleção na cabeça. Acho que tinha suas vantagens. Seria legal comer bem, pelo menos por uns dias. E não havia razão para eu me preocupar: eu não me apaixonaria pelo príncipe Maxon. Pelo que vi no Jornal Oficial de Illéa, nem ia gostar do cara.

A escrita de Kiera é ótima, America é o ponto forte em toda a história. Uma personagem forte, humilde, inteligente, altruísta e determinada. A escritora conseguiu criar uma ótima trama, com uma pintada de comédia, e é claro, aquele romance que deixa qualquer leitor bobo. A Seleção é um livro apaixonante, que apresenta descobertas e algumas lições que devem ser aprendidas. E o que dizer sobre essa edição? Toda vez que eu olho para capa do livro, eu acabo me apaixonando de novo. Fora que, as letras estão em um tamanho ótimo e são páginas amarelas, o que deixa a leitura mais agradável possível. Enfim, como puderam perceber, eu só tenho amores e elogios por esse livro, e quero fazer o máximo de pessoas se apaixonarem por America Singer.

Ele deixou escapar um suspiro. Com a cabeça em seu peito, pude finalmente ouvir as batidas de seu coração através do paletó. Pareciam aceleradas. Sua mão, delicada como sempre, acariciava minha bochecha. Ao olhar nos seus olhos, percebi que um sentimento inominável crescia entre nós.
Ficha Técnica 
Título: A seleção
Título Original: The Selection
Autor (a): Kiera Cass
Editora: Seguinte
Ano de Lançamento: 2012
Páginas: 368
Sinopse: Nem todas as garotas querem ser princesas. America Singer, por exemplo, tem uma vida perfeitamente razoável, e se pudesse mudar alguma coisa nela desejaria ter um pouquinho mais de dinheiro e poder revelar seu namoro secreto.Um dia, America topa se inscrever na Seleção só para agradar a mãe, certa de que não será sorteada para participar da competição em que o príncipe escolherá sua futura esposa.
Mas é claro que seu nome aparece na lista das Selecionadas, e depois disso sua vida nunca mais será a mesma...

Categorias

Comments

Contact Us

Nome

E-mail *

Mensagem *